domingo, 21 de julho de 2013

Peito fértil














Retrógrado modo de pensar, aonde viemos parar ?
abismo, caverna escura desejando tragar
apagar com fumaça escura o céu azul
ela se isolou em meus pensamentos
de passagem larga e cor quente
pintada em meus neurônios
agora, o que quer eu eu pense
vem me levar como avalanche
em sinonimo de morte ou não
agarrar aquilo que eu respiro
me apartar de seu amor
te fazer pesadelo e sonho
qualquer loucura que possa existir
trazendo luz para desconhecidos
eu e meus pensamentos
aonde eu tropecei e deixei sangue
minhas feridas cravaram lágrimas
desajustado, desgovernado modo de viver
por acolher as ideias dos loucos
dos que andam visitando outros mundos
além do qual eu e você se inventamos
despejo agora toda minha nitidez
sobre seus olhos que me cegaram
quando partido desse mundo fiquei
encontrei colo num olhar
vontade de deixar tudo e sumir
não por covardia ou medo
mas de encontrar além do que impõem
humanidade de verdade
seiva forte que brota da terra
do peito fértil de cada um


Por Manfrá

Nenhum comentário:

Postar um comentário