segunda-feira, 24 de junho de 2013

Parto de Brasil

A quem diga e a quem verá
se esta perdido ou curado
o que sangra da mão do meu povo
será trabalho ou exploração?
Justiça ou vida de mente mal-educada
Se tem santos tem profanos
Que querem rugir sobre quem os carrega
com alegria sobre os impostos que pagamos
Para satisfazer de superficialidade
Enaltecer como nobreza
Quem deixamos nos enganar
Fazendo meu povo rastejar pelo chão
Conseguindo miséria no lugar de educação
Dependente do que lhe mata
A voz que quer te calar
Te fazer de imbecil
De monstro de circo para estrangeiros
Irmão verde, amarelo e azul
Acorde e veja a mentira
Estampada em cada guarda-sol
Que a mídia lhe ocultou
E que os poderosos lhe negaram
O sol do peito da vida do meu povo
Brilhando como o cometa mais alto e belo
Pronto para desfrutar
De um país mais justo



Manfrá

domingo, 16 de junho de 2013

Locomotiva Brasil


O que queres que eu cante hoje, fera tímida e enjaulada ?
Repartindo entre seus reis a miséria sobre a mesa
Matando os quem tem sede e vive em terra de sequidão
Esquecendo da escola do lunático e do poeta
Acreditando em rede de manipulação, que fez meu povo tropeçar
Quero que caias hoje, fardo que puserdes sobre todos nós para carregar
Pois hoje acordei sorridente, vendo meu Brasil levantar
Doía até os cantos, dos palácios que se fizeram amedrontar
Da engrenagem que engana, que nos mantém como uma raça sub-humana
Por causa do seu egoísmo e ganancia, querendo roubar da terra que também sangra
Quem quer defendê-los, morra hoje, por que queremos ergue-lo
No protesto que há, que a paz, dignidade, alegria e esperança
estejam calçadas em seus pés meu irmão vermelho

Por Manfrá