domingo, 12 de fevereiro de 2012

Escravo de aluguel





Me sinto devendo
Devendo gratidão
devendo compreensão
devendo atenção
atenção pelo teu caso
empatia pela tua causa
pela tua luta, pelo teu amor
Me sinto endividado
pela falta de honestidade
por momentos que fugi da verdade
Por não ter me interessado
Pelo motivo do amor
Me sinto devendo
devendo demonstração de afeto
afetos que faltaram
nas oportunidades que passaram
Um abraço, um beijo, um eu te amo,
um aperto, uma saudade, um motivo
Me sinto endividado
com a vida, com Deus, comigo mesmo
Me sinto corroendo
Por não ter feito ouvir teus conselhos
Ter entendido o teu pavor
Resgatado da minha incompreensão
Me sinto endividado
Pelo o que poderia ter feito e não fiz
Pelo o que poderia não ter feito mais fiz
Me sinto cansado
De não ter pensado mais em mim mesmo
De ter esquecido do meu próximo
De ter feito da vida meu espetáculo
sem me preocupar com a plateia
que sorria e aplaudia
a nossa falta de Deus
num mundo perdido


Por Manfrá



3 comentários: