segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Núpcias de drogas



No vale do sombrio eu quero navegar
para ver me elas todos os horrores
De tanto naufragio que ja aconteceu
O mal vem se apoderar dos sábios
Pois, eu tenho visto seus lamentos
E sei que foram dignos de toda pena
Mais, por que não se libertam?
Porque e do que foi feito?
Todas nossas paginas vazias
Foragindo-se a si mesma
Com todas suas núpcias de drogas
Tenho me encontrado com ele também
Meu divorcio que vem do bem
Pra me separar de todo mal
veja Senhor, o que ele tem feito?
Tem me feito andar nas nuvens
E reencontrar-me como filho
Tenho sentido saudade da dor
Daquela que me faz pulsar em si
Venham, ainda tenho todos as noites
Todos as que o meu Pai me deu
Posso gritar naquele jardim
E fazer de palacio aquele casabre
Vou!, pois agora tenho todo o verão
Todo o inverno para mim ser feliz
Nem tempo há contra ti
Daquele que sonhou dessa terra também
Pra ver dias melhores
e noites cheias de luas
Vem, corre meu bem
Que de todas suas feridas
Ele já esqueceu
Agora não tem recado contra ti
Somente luzeiros de retidão
Daqueles que te fazem desaperecer
Do mundo terra para o mundo luz
E te reencontrar na paz
Sobre a benção do seu Senhor


Por Manfrá

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Rosa de Chico



Quando você morrer vão dizer o absurdo sobre você
Vão dizer coisas que não esperavam
Vão juntar o torto com o reto
e fazer de certo suas interpretações
Vão colocar suas idéias sobre um incenso
e fazer de fumaça sua nuvem
Vão querer te entender
Parar de te fazer misterio
Vão lembrar do seu rosto
Querer de ver de novo
Vão abrir suas bocas
E bendizer seu nome
Vão usar de velas e rosas
Para te enfeitarem sobre a terra
Vão te fazer pequeno
para cabe no mundo deles
Te inventa pelas bordas
para te entender por inteiro
Vai ser dito tudo de bom
até aquilo que não se ouvia
Vai se ouvir todo o exagero
até o temor sobre o intocavel
De todo o caminhar de tua vida
Eles vão tentar lembrar
Se lembra quando fulano
Se lembra quando ciclano
Vão procurar um motivo
Vão culpar a Deus quanto ao Diabo
Vão querer te abraçar
Te pegar e não largar
Sobre tua vida e minha vida
As lembranças vão desenterrar
O que doia mais vai doer menos
Até te aceitarem longe de seus mundos
Vão te esquecer para curar
A vida que caminha para a morte

 Por Manfrá

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Estranhos Pensamentos

Nada absolutamente nada
Saio sem demoras e nem me despeço
Me arrependo, volto atrás e vejo que ja foi
Agora ja não posso mais
Como posso, entre um copo e outro vou me conformando
Não a nada para mim.Nada...
Sou louco em pensar assim
Sou louco ao tentar me confundir
Mais agora ja foi
Estou de ressaca e não a mais nada a se fazer
Aquilo,aquele, os outros eu e ninguêm
Todos aqui na mente confusa
que me confunde tambem...


Sem cerimonias
Sem dinheiro
Sem teu carater violento simplismente sem medo
Ancoras de pensamentos que me fazem escrever
oque não quero
Sai da água dos meus olhos vermelhos
Não é triste
Não era pra ser triste
Mais no final é sempre tudo
que escrevo...

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Talento insano

Ai que merda...maldita mente louca e insana!!!
Sai fora desse armário; por que eles já sabem que você está ai.
O que você vai fase?? vai fica de olhos fechado e torcendo pra acaba logo...hahaha
Ou vai chama a mamãe garotinho medroso...
pare de jogar video game de musica e aprenda a toca um instrumento de verdade e faça a sua própria musica
BRILHA e saia logo desse maldito armário hehe

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Escravo de aluguel





Me sinto devendo
Devendo gratidão
devendo compreensão
devendo atenção
atenção pelo teu caso
empatia pela tua causa
pela tua luta, pelo teu amor
Me sinto endividado
pela falta de honestidade
por momentos que fugi da verdade
Por não ter me interessado
Pelo motivo do amor
Me sinto devendo
devendo demonstração de afeto
afetos que faltaram
nas oportunidades que passaram
Um abraço, um beijo, um eu te amo,
um aperto, uma saudade, um motivo
Me sinto endividado
com a vida, com Deus, comigo mesmo
Me sinto corroendo
Por não ter feito ouvir teus conselhos
Ter entendido o teu pavor
Resgatado da minha incompreensão
Me sinto endividado
Pelo o que poderia ter feito e não fiz
Pelo o que poderia não ter feito mais fiz
Me sinto cansado
De não ter pensado mais em mim mesmo
De ter esquecido do meu próximo
De ter feito da vida meu espetáculo
sem me preocupar com a plateia
que sorria e aplaudia
a nossa falta de Deus
num mundo perdido


Por Manfrá



quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

A CONFISSÃO DO GUERREIRO

VENTOS DISTANTES TRAZEM A MIM
O VAZIO E A AMARGA LEMBRANÇA
DE UM PASSADO SUJO E DOLOROSO...
RUMORES DE GUERRA VINDO DO NORTE; EU ESCUTEI
MAS SÓ AQUI NO CAMPO DE BATALHA QUE AGORA EU VEJO
O QUANTO É ASSUSTADOR TRAMAR UMA GUERRA;
COM UM INIMIGO QUE NÃO SE PODE VÊ E SIM SENTI-LO
NO CAMPO MAGNÉTICO DA REALIDADE OBSCURA ELE SE ALIMENTA...
E A MINHA ESPADA FORJADA NO FOGO DA REALIDADE È TEMPERADA
NA REALIDADE EM QUE VIVO, TRAMO UMA BATALHA SANGRENTA
PELO CONTROLE DE UMA NOVA UTOPIA.