quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Rosa de Chico



Quando você morrer vão dizer o absurdo sobre você
Vão dizer coisas que não esperavam
Vão juntar o torto com o reto
e fazer de certo suas interpretações
Vão colocar suas idéias sobre um incenso
e fazer de fumaça sua nuvem
Vão querer te entender
Parar de te fazer misterio
Vão lembrar do seu rosto
Querer de ver de novo
Vão abrir suas bocas
E bendizer seu nome
Vão usar de velas e rosas
Para te enfeitarem sobre a terra
Vão te fazer pequeno
para cabe no mundo deles
Te inventa pelas bordas
para te entender por inteiro
Vai ser dito tudo de bom
até aquilo que não se ouvia
Vai se ouvir todo o exagero
até o temor sobre o intocavel
De todo o caminhar de tua vida
Eles vão tentar lembrar
Se lembra quando fulano
Se lembra quando ciclano
Vão procurar um motivo
Vão culpar a Deus quanto ao Diabo
Vão querer te abraçar
Te pegar e não largar
Sobre tua vida e minha vida
As lembranças vão desenterrar
O que doia mais vai doer menos
Até te aceitarem longe de seus mundos
Vão te esquecer para curar
A vida que caminha para a morte

 Por Manfrá

Nenhum comentário:

Postar um comentário