sexta-feira, 5 de abril de 2013

Charge de diet





Me traga alguém que escute, que não venda comentários
chamas aonde quer que eu toque, incêndio o que quer que eu ame
bussola desorientada o que quer que eu pense, naufrágio na madrugada
mente encalhada, mar de sujeira em minha cabeça
Meu orgulho é minha cicatriz, minha loucura meu paraquedas
meu refúgio é torneira de álcool, roleta russa é paixão aleatória
charge de depressão a noite, pós-guerra depois de uma discussão
recado de ex é espinho de palavras, flores queimei todas
falsificado sorriso amarelo, promoção barata de farmácia
carro vermelho de desilusão, esmaguei minha cara metade
petrifiquei meus amores, matei meu tesão 
curando meu câncer, metendo a mão boba arrancando seu coração
novela de tragédia, emancipei destruição
durma com isso se puder, que sou o mesmo sem você
estragado, confuso, robusto de faxada
tropeçando, se levantando e levando rasteira
de boca à boca sem dor,mas de boca no chão nem falo!

Um comentário: