sexta-feira, 7 de abril de 2017

Humano além do pano

Sou humano além do pano, ledo engano
Sou humano além do traço, mero laço
Não sou a soma de seus cheques blindados
Contra rótulos me aponho
Sou pedra de tropeço para quem me julgava, abandono
Sou humano que também apanha, mero boato
Humano que não me apoio, humano estranho
Humano desumano, humano que me acanho
Que pisa em pé inchado. que não sabe dizer um: eu te amo
Humano insano, humano que já não mais me espanta
Acostumado com suas varianças
Mudanças nas instâncias
De qualquer forma de poder que nos ameaçe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário