domingo, 20 de maio de 2012

Overdose


















Sempre digo a ela o que levar
não importa de mim nem sabe-la
venho cedo e vou embora
pois a tarde é meu sossego
Quero viola-la em meu escuro
sem um pouco de maldade
vem embora meu sossego
porque eu quero é cuidar
Não importa a saudade
porque eu quero é ama-la
Doe de mim fazer assim
Seu injusto amado fiel
que por mais que apagues
continua a queimar
quero aconchega-la agora
e dormi por vaidade
Vencer o mundo que há la fora
ficando bêbado na madrugada
Retornar a infância de nosso amor
Peregrinos da noite da majestade noturna
Quem vai fazer as trilhas
para quando nos perdermos?
Alvo em nossas consciências são
o despertar do amanhecer
E o buscar do entender
Foi se embora sem despedir
e deixou comigo a saudade
trouxe a vida que negou
E me amou

3 comentários:

  1. Este Poema é bem ao meu estilo de ser u.u.

    Muito bom mesmo!

    ResponderExcluir
  2. Adorei seu blog, seguindo. Se puder visita o meu?

    http://thamyrisaquino.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir